A Casa de Portugal nos Jogos Olímpicos, RIO 2016

NRP SagresPortuguês (Portugal)Media CenterNotíciasA Casa de Portugal nos Jogos Olímpicos, RIO 2016

03 de agosto de 2016

​​No dia 3 de agosto, ao fim de 43 dias de viagem, o NRP Sagres atracava no Cais da Portuguesa, Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro, ao som da Marcha dos Marinheiros interpretada pela Banda da Marinha do Brasil. No final da manhã, o ALM CEMA/AMN recebia a bordo o Presidente da República, Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa. Na presença de muitos convidados e inúmeros órgãos de comunicação social, o Comandante e a velejadora Joana Pratas entregaram ao Presidente da República a bandeira nacional que atravessou o Atlântico a bordo. 

Concluído o hino nacional pela Banda da Marinha do Brasil, o Chefe de Estado procedeu à sua entrega ao Chefe da Missão Olímpica Portuguesa e ao atleta porta-estandarte. De referir que, na cerimónia realizada a bordo no dia da largada, em Lisboa, o Chefe da Missão Portuguesa e o porta-estandarte haviam entregue a bandeira nacional ao Primeiro Ministro, que a confiou ao comandante. Em resultado da parceria entre a Marinha Portuguesa e o Comité Olímpico de Portugal (COP), o NRP Sagres foi a Casa de Portugal durante os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, aí permanecendo de 3 a 22 de agosto. De resto, foi a primeira vez que o COP dispôs de Nation House, por sinal nas primeiras olimpíadas realizadas num país lusófono. 

Contrariamente ao que se verificou com os demais países, a Casa de Portugal foi a única sediada em território pátrio. Tratando-se do ex-libris da Marinha Portuguesa, a bordo tudo assume um simbolismo acrescido, conforme sucedeu com a bandeira nacional transportada pelo navio desde Lisboa. Outro facto inédito foi a estadia de 19 dias no Rio de Janeiro, conferindo enorme visibilidade a Portugal, à Marinha e ao COP, bem como aos parceiros que se associaram a esta iniciativa, e que aí dispuseram de uma plataforma de excelência para promoção das suas atividades e produtos, num país de enorme potencial e com 200 milhões de habitantes. Tirando proveito desta longa estadia, também se realizaram pela primeira vez fora de Portugal as atividades do Dia da Defesa Nacional, dando a conhecer as nossas Forças Armadas aos jovens portugueses residentes no estado do Rio de Janeiro. Antecedendo o almoço, na câmara de oficiais, o Presidente da República assinou o Livro de Honra, tendo recebido do Comandante o brasão de armas do navio e um exemplar do livro Sagres – 

Construindo a Lenda. No final do almoço, guarnição e cadetes formaram no cais para fotografia com o Presidente, que nessa mesma noite ofereceria uma receção no Palácio de São Clemente, residência oficial do Cônsul-Geral de Portugal no Rio de Janeiro, e onde esteve presente uma delegação composta por oficiais, cadetes, sargentos e praças do navio. Presidida pelo ALM CEMA/AMN, na manhã de 4 de agosto decorreu a bordo a cerimónia de imposição de condecorações a militares do NRP Sagres. Ao final da tarde, o ALM CEMA/AMN condecorava o oficial da Marinha do Brasil CMG Rogério Pedroso com a Medalha da Cruz Naval, numa cerimónia que contou com a presença do Comandante da Marinha do Brasil. O Presidente regressou novamente ao NRP Sagres ao final do dia para inaugurar a Casa de Portugal e para a receção aos cerca de 200 convidados, entre eles o Ministro da Educação, o Embaixador de Portugal, o ALM CEMA/AMN, o Comandante da Marinha do Brasil, o Cônsul-geral de Portugal no Rio de Janeiro e o Presidente do COP. No dia seguinte, o ALM CEMA/AMN retribuiu a bordo o almoço ao Comandante da Marinha do Brasil e ao Comandante das Operações Navais. À noite tinha lugar, no mítico estádio do Maracanã, a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, com o porta-estandarte João Rodrigues a liderar os atletas portugueses, sustendo a bandeira nacional que atravessou o Atlântico. No dia 6 de agosto decorreu a bordo a receção da Associação do Comércio do Rio de Janeiro e a atuação da orquestra de cordas do projeto Uerê composta por jovens desfavorecidos, que contou com a presença do Ministro do Tribunal de Contas do Brasil. Dois dias depois realizou-se o workshop promovido pela Docapesca, seguido de receção. O COP promoveu receções em 9, 10, 12, 16 e 18 de agosto. 

Na primeira esteve presente o Ministro da Educação de Portugal, o Ministro do Desporto do Brasil, o Ministro da Educação de Angola, o Ministro da Educação de Timor-Leste, o presidente do COP, os presidentes dos comités olímpicos dos países da CPLP e os presidentes das federações nacionais de diversas modalidades, tendo sido homenageada a judoca Telma Monteiro que na véspera havia conquistado a medalha de bronze na sua categoria. Na segunda, estiveram presentes os presidentes dos comités olímpicos de diferentes países, além do Cônsul-geral de Portugal no Rio de Janeiro. Na terceira estiveram a bordo os antigos atletas Rosa Mota e Carlos Lopes, que conquistaram as primeiras medalhas de ouro para Portugal nos Jogos Olímpicos. Verdadeiras lendas do atletismo, o tempo de Carlos Lopes na maratona de Los Angeles (1984) foi recorde olímpico durante 24 anos e a marca de Rosa Mota na maratona de Seul (1988) ainda é recorde nacional! Na receção do dia 16 estiveram presentes o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, o Cônsul-geral de Portugal no Rio de Janeiro e os presidentes das federações de diversas modalidades. Na receção do dia 18 houve música com DJ, encontrando-se o Secretário de Estado da Defesa Nacional e o presidente da Câmara Municipal de Oeiras entre os convidados. Na tarde de 13 de agosto atuou a bordo o grupo folclórico Armando Leça, da Casa do Porto no Rio de Janeiro, e à noite realizar-se-ia um jantar promovido pelo COP, com presença da atriz Flávia Alessandra e do apresentador de televisão Otaviano Costa. No dia 15 de agosto teve lugar a receção promovida por Braga – Capital Ibero-americana da Juventude, que contou com a presença do Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, do Presidente da Câmara Municipal de Braga, do Cônsul-geral de Portugal no Rio de Janeiro e de várias atletas da equipa olímpica nacional. A 17 realizou-se a receção promovida pelos hotéis Vila Galé, que incluiu espetáculo de fado, e no dia 19 teve lugar um almoço na camarinha do Comandante promovido pela Plataforma das Indústrias de Defesa Nacionais (IdD), que contou com as presenças do Secretário de Estado da Defesa Nacional, do presidente da IdD e de representantes das indústrias de defesa portuguesas e brasileiras. Nessa noite decorreu a primeira receção da IdD, onde estiveram presentes o Secretário de Estado da Defesa Nacional, o presidente da IdD, o Cônsul-geral de Portugal no Rio de Janeiro e diversos almirantes da Marinha do Brasil. 

Na manhã do dia 20 teve lugar o workshop organizado pela IdD, seguido de receção. Nas tardes de 19 e 20 de agosto realizaram-se as atividades no âmbito do Dia da Defesa Nacional, com presença do Secretário de Estado da Defesa Nacional e do Diretor Geral de Recursos da Defesa Nacional. No final, foram entregues diplomas de participação aos cerca de 200 jovens portugueses residentes no estado do Rio de Janeiro, que participaram nesta iniciativa inédita. O COP proporcionou visitas à Aldeia Olímpica à guarnição nos dias 13 e 16 de agosto, tendo igualmente disponibilizado ingressos para diversas modalidades dos Jogos Olímpicos. 

​Telma Monteiro foi a porta-estandarte na cerimónia de encerramento dos Jogos Olímpicos que se realizou a 21 de agosto, desfilando com a bandeira nacional que viajou na Sagres até ao Rio de Janeiro. A 22 de agosto, o NRP Sagres concluía a sua mais longa estadia num porto, tendo largado com o Secretário de Estado da Defesa Nacional, o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, o Cônsul-Geral de Portugal no Rio de Janeiro, o Diretor Geral de Recursos da Defesa Nacional, o chefe de gabinete do ALM CEMA/ /AMN e o Secretário-geral do COP, que o estado do mar obrigaria a desembarcar ainda no interior da baía de Guanabara, junto à Escola Naval da Marinha do Brasil. Por se tratar do maior evento à escala global, nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro estiveram presentes os grandes media nacionais e internacionais, tendo o NRP Sagres sido alvo das maiores atenções por parte da RTP, SIC, TVI, Sport TV, CMTV, TV Globo, Canal Futura, Rede TV, TV Bandeirantes, ESPN, Fox Sports, Olympic Channel, NBC Sports, NBC Olympics, Radio Renascença, Antena 1, Lusa, Diário de Notícias, A Bola, O Jogo, O Globo, The Wall Street Journal, Supersports, Frankfurter Undschau, Berliner Zeitung e Deutsche Weller, sendo de destacar os programas transmitidos em direto do navio e as entrevistas concedidas pelo Comandante a diversos canais de televisão. No Rio de Janeiro, o navio permaneceu no mesmo cais onde outrora o Guanabara (1948-1962) costumava atracar, tendo recebido a visita de vários antigos marinheiros. 

Em virtude de ter sido navio- -escola da Marinha do Brasil, o NRP Sagres é hoje um testemunho vivo das excelentes relações entre os dois países e da amizade entre as duas Marinhas, laços que saíram reforçados pelo inexcedível acolhimento e apoio dispensado ao navio pela Marinha do Brasil e pela população. Pela relevância da sua gesta e excelente localização, a presença do navio-escola da Marinha Portuguesa constituiu uma atração para os milhares de turistas que estiveram no Rio de Janeiro nesta ocasião, tendo recebido mais de 56 mil visitantes. De forma a compatibilizar os eventos realizados a bordo com o acolhimento do público, por norma o navio esteve aberto a visitas entre as 10h00 e as 17h00. 

No âmbito da parceria com o COP, nesses períodos eram vendidas algumas especialidades gastronómicas tí- picas portuguesas, muito apreciadas pelos visitantes. Nos eventos realizados a bordo, a Casa de Portugal acolheu mais de 1700 convidados que muito enalteceram o aprumo e a simpatia da guarnição, a apresentação cuidada do navio e a excelência da gastronomia nacional confecionada a bordo, assim como os magníficos vinhos portugueses. Em resultado do elevado profissionalismo e forte espírito de missão demonstrados pela guarnição do NRP Sagres, a Casa de Portugal nos Jogos Olímpicos contribuiu para a afirmação de Portugal e, bem assim, para o dilatar do prestígio da Marinha e do COP. Acrescentada mais uma página memorável à construção da lenda em que se transformou o NRP Sagres, fazemos votos para que esta parceria entre a Marinha e o COP se renove com vista aos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.


Leme slkssd

A Missão

Antigos Comandantes

O Navio